quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Como está o seu internetês? Conheça a linguagem utilizada no mundo online

Fique por dentro da linguagem da internet. Veja onde o fenômeno está localizado, quais são as opiniões sobre o assunto e aprimore o vocabulário com alguns exemplos deste artigo.

Para aqueles que não usam a internet com muita freqüência, ver palavras como “xou xiki” escritas na tela parece algo estranho. Estamos usando a língua do xis agora? Com o tempo você vai se acostumando e percebe que, pasmem, ainda é português!

Mas como assim "vc", "tb"? E que raios é "kkk" e por que tem um rosto amarelo mostrando a língua para mim? Que falta de educação!

Muita calma nessa hora, pois o internetês veio para ficar. Esta “linguagem”, “dialeto” ou do que você preferir chamar surgiu no meio online para acelerar a comunicação entre usuários. É utilizada principalmente em salas de bate-papos e sites de relacionamento, e difundida em todas as idades, mas principalmente entre os adolescentes.

Afinal, na internet, em se tratando de tempo, menos é mais. Quanto mais fácil for para digitar mais aproveitamento você terá da agilidade que o mundo online proporciona. Ou seja, mais rápido vc poderá responder aquele comentário do seu amigo sobre a gatinha do dia anterior.

Não, ñ ou naum?

Pois é, então a ideia é adaptar as palavras de forma que fique mais fácil de escrever? OK. Mas por que raios alguém aumenta uma palavra como “não”, escrevendo com uma letra a mais, “naum”? E porque “é” fica “eh”?

Simples, porque assim não é preciso colocar acento. O acento está em diferentes locais de acordo com cada teclado, além de ser necessário pressionar dois botões em muitos acentos.

Por isso, transformar em uma palavra sem acento fica muito mais rápido, fácil e tranquilo de escrever. Exatamente a lógica do internetês. Isso acontece também na criação de palavras novas, conforme veremos mai s à frente.

É possível ainda resumir informações através dos emoticons, que nada mais são do que rostos que demonstram as mais diversas expressões que sentimos. Caso queira saber mais sobre esse tipo de escrita, passe por aqui.

E assim, de uma forma quase instantânea, palavras são abreviadas, verbos são criados e muitas, mas muitas opiniões são discutidas a respeito disso.

Escrita formal X internetês

O debate mais importante das línguas está ligado à educação de jovens que são expostos a esse tipo de linguagem regularmente. Para alguns, o aprendizado é afetado por isso, uma vez q aprendemos a língua através da repetição. Com o uso corrente de palavras escritas de forma “errada”, o jovem irá aprender a escrever errado também.

Já outros afirmam que o internetês é uma evolução no uso da linguagem. Nós não usamos mais muitas das expressões e construções gramaticais do século XVI, afinal, o português muda e evolui. A internet e a linguagem utilizada ali nada mais seriam do que um próximo passo nesta evolução.

Como o internetês não vai embora tão cedo, uma solução para a influência da linguagem de internet é incluir o assunto dentro da sala de aula. Para isso, é necessário que professores também estejam antenados na nova mania. Sem preconceitos.

Internet e inclusão digital

Cada vez mais a internet está sendo utilizada como um meio de informação. Não apenas para conhecer pessoas, mas tb para adquirir conhecimento. Além disso, é possível perceber que existem cada vez mais pessoas iniciando o acesso a este nova mídia.

O internetês está concentrado em um local específico de uso, e só é conhecido por aqueles que freqüentam este espaço. Quanto mais pessoas têm acesso à internet, mais este “dialeto moderno” se difunde.

Agora, se você é um desses que acabaram de iniciar a jornada internética e está perdido na linguagem online, seus problemas acabaram! Vamos dar uma olhada em algumas expressões mais usadas.

Vamos aprender internetês!

Vc quer tuitar? Eu axo q seria legal p ixcrever sobre a vida!

Não entendeu muita coisa dessa frase? Vamos à tradução: “Vc” é a abreviação de “você”, utilizada para acelerar a comunicação. Isso acontece com as letras “p”, que é a abreviação de “para” e “q”, abreviação de “que”.

“Tuitar” significa “escrever no Twitter”, o miniblog que é a sensação do momento. Ao invés de usar a frase “Postar no Twitter” ou algo que o valha, muito mais fácil é criar um verbo para esse propósito, utilizando as regras da gramática (veja que tuitar já está no português e pode ser conjugado, afinal “Eu Tuito, tu tuitas, ele tuita e todos nós tuitamos juntos!”)

As expressões “axo e ixcrever” são também internetês, mas de um tipo diferente. O Miguxês é uma forma de expressão que “imita” a fala de uma criança, considerada meiga ou divertida. É utilizada mais frequentemente por meninas adolescentes, e é a linguagem que mais cria controvérsias em sites, pois é a que mais cria interferências na leitura.

Outras exemplos do internetês:



Abreviações na língua inglesa

Em menor escala utilizamos também abreviações importadas da língua inglesa, que servem para a mesma coisa das abreviações do português, ou seja, facilitar e diminuir o tempo.

Fica muito mais fácil escrever LOL do que laughing out loud (ou rindo muito, rindo alto). Aliás, quantas pessoas estão de fato LOL quando escrevem isso, hein?

E então? Será que é prejudicial?

O certo e errado não existem quando estamos falando de língua portuguesa. Pelo simples fato que o que importa é o contexto no qual estamos inseridos. Escrever na internet com o estilo da “Ilíada” não funciona. Da mesma forma que não se deve IxCrEveR aXiM na prova de português ou no currículo, pois é nota baixa e desemprego na certa!

Da mesma forma que se o internetês prejudicar a compreensão das frases não deve ser usado. Caso a interferência seja maciça, o texto fica difícil de ser lido e prejudica a coisa mais importante: o entendimento. Como já disse Stanistaw Ponte Preta: “quem gosta de doce-de-coco sabe a importância de um circunflexo”.

Com isso queremos dizer que não defendemos o internetês em todas as ocasiões. Há hora e lugar para usá-lo e, se aproveitado de forma correta, facilita bastante a agilidade das conversas.

É necessário que os jovens tenham uma educação também formal, e saibam escrever de acordo com as normas. Porém, não é nada ruim saber que o internetês existe, e que veio para ficar. Só fique de olho par usá-lo no momento certo!

Aliás, se você passou sem perceber por algumas abreviações que colocamos de propósito durante o texto (além dos exemplos), você já está totalmente imerso no internetês. Caso tenha percebido a nossa malandragem, você ainda não está totalmente contaminado!

Continue praticando seu internetês! Aproveite e dê sua opinião sobre a linguagem da internet e compartilhe conosco expressões que você usa para facilitar a vida online.





Fonte: Tecmundo


Seja o primeiro a comentar!

Comentarios(s):

#