segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Mais um suspeito de crime em festa na Paraíba se entrega à polícia

Um dos nove suspeitos se entregou ao fórum de Queimadas, diz Polícia.
Duas mulheres foram estupradas e mortas durante invasão em festa.

Mais um suspeito de envolvimento no estupro e morte de duas mulheres durante uma festa em Queimadas, no Agreste da Paraíba, foi preso nesta segunda-feira (13). De acordo com a Delegacia de Homicídios de Campina Grande, o homem se entregou pela manhã ao fórum da cidade onde o crime aconteceu.

Ao todo, oito homens estão detidos por suposta participação no crime. Inicialmente, a Polícia Militar divulgou que nove pessoas estavam presas, porém a Polícia Civil corrigiu a informação, esclarecendo que um dos nove suspeitos está foragido. Sete dos presos estão detidos na Central de Polícia e serão apresentados à imprensa em entrevista coletiva marcada para as 12h (horário local). Eles estão sendo autuados em flagrante por homicídio qualificado, roubo, sequestro e formação de quadrilha.

Os crimes aconteceram por volta da meia-noite do domingo (12). Segundo o comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, tenente coronel Souza Neto, a principal suspeita é de que os criminosos tenham sido convidados pelos dois irmãos que promoviam a festa para estuprar as mulheres que participavam do evento. Elas teriam sido mortas porque reconheceram alguns dos homens que invadiram a casa durante a festa. Os irmãos estão entre os presos. Três dos suspeitos foram detidos quando estavam no velório das vítimas.

A operação que resultou nas prisões foi realizada em conjunto entre a Delegacia de Homicídios de Campina Grande e o 10º e 2º Batalhão da Polícia Militar. Com o grupo foram apreendidas uma espingarda calibre 12, um balde com material utilizado para fazer as pessoas reféns, uma escopeta, entre outras armas e munições. Por telefone, o comandante do 2º BPM ainda informou que o grupo usava máscaras de Carnaval e capuzes para não ser identificado.

Entenda o caso
Conforme as investigações da Delegacia de Homicídios, o grupo teria invadido a casa pelo portão da frente e trancado os donos do imóvel no banheiro, os homens em um quarto e as mulheres em outro. Eles teriam fugido no carro de um dos convidados da festa, um Fiat Strada, levando R$ 5 mil em dinheiro e duas reféns.

A recepcionista Michele Domingues da Silva, de 29 anos, teria conseguido pular do carro em frente à igreja do Centro de Queimadas, mas foi assassinada com quatro tiros. Ela ainda foi levada ao Hospital de Queimadas, mas não resistiu aos ferimentos.

A segunda vítima, a professora Isabela Pajussara Monteiro, de 27 anos, foi encontrada na estrada que liga Queimadas a Fagundes dentro do carro usado na fuga dos criminosos. Ela foi atingida por três tiros e tinha as mãos amarradas, uma meia dentro da boca e hematomas pelo corpo. De acordo com a Unidade de Medicina Legal de Campina Grande, as duas vítimas apresentavam indícios de violência sexual.



Fonte: Karoline Zilah Do G1 PB
foto: @SouzaNetoTC




2 comentarios

antonio disse...

Isso ñ saõ seres humanos e sim animais selvagens,pq perderam a razaõ,eram pra autoridades ver esse tipo de crime com uma puniçaõ mais severa ,aprovar uma lei q puniçaõ o estrupo com a pena de arrancar o orgaõ genital ,e aí cum prir a pena pelo pé da letra,e outra cadÊ os direitos humanos ,que ñ esta presente ,ou dando ajuda a essas familias,a quem memso eles ajudam e defendem

joelma marcelino disse...

pura verdade,não pq aki no Brasil não tem pena de morte.para esses vagabundos,marginais,infelizes...nossa mim dá pavor só em pensar.ate pq tenho filhos,e oro a Deus sempre para livra-los de monstros como esses.

Comentarios(s):

#