segunda-feira, 21 de setembro de 2015

BATE E REBATE: Ricardo Coutinho e senador Cássio Cunha Lima travam briga de notas

O clima quente entre o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ferveu no último fim de semana. Uma briga de notas até o momento, finaliza a discussão só nesta segunda-feira (21), mas que começou no sábado (19) após uma entrevista do tucano a uma rádio de Campina Grande.

O senador Cássio Cunha Lima afirmou que o governador Ricardo Coutinho (PSB) teria lhe oferecido dinheiro para que ele não fosse candidato nas eleições de 2014.

Durante a entrevista, Cássio que é líder do PSDB do Senado disse que rompeu com o socialista porque “não há parceria nem relação de colaboração com ele”.

“Ele (o governador RC) me ofereceu dinheiro para que não fosse candidato. Ricardo sempre fez alianças eleitoreiras e teve sucesso", comentou Cássio acerca da coligação com o PT nas eleições do ano passado, que acabou, na prática, segundo ele, logo após o processo eleitoral. “Ele não sabe ter relação de parceria.”

O governador Ricardo Coutinho reagiu de maneira contundente às declarações dadas pelo tucano na Rainha da Borborema. Enfático, Ricardo disse que Cássio foi quem pediu dinheiro para não concorrer nas eleições, mas teve o pedido recusado.

– Ele (Cássio) é que pediu, mas como não dou dinheiro a ninguém, principalmente vagabundo, ficou sem – disparou Ricardo.

Ainda de acordo com o governador, “meu maior desejo era enfrentá-lo para retirar a máscara dele e mostrar à Paraíba como era possível fazer um governo de seriedade e progresso, em contraponto à farsa de seus anos de gestão”.

Para Ricardo, o desespero atual de Cássio o impede de fazer qualquer debate político e sério.

O líder tucano continuou revidando o líder socialista e lembrou de declarações de Ricardo que estipulou preços para deputados e garantiu não estar à venda.

"Recentemente, ele estipulou preço para deputados e lideranças políticas. Essa régua não me mede. Não estou nem jamais estive à venda. Ataques e perseguições não me dobram nem me calam. Se a Imprensa nem soube das ofertas privadas de dinheiro, registra, no entanto, o oferecimento de vantagens políticas de toda ordem. São fatos públicos e históricos. O medo e a tirania até silenciam o presente, mas não conseguem mudar o passado. Ricardo Coutinho também não o conseguirá”, destacou.

Cássio disse ainda que por medo ou acomodação, graves questões administrativas, como a explosão da insegurança no Estado, a omissão em relação à seca, que já dura quatro anos e o sucateamento de serviços ou de instituições como a UEPB são pouco comentadas.

"Felizmente nem todos se omitem ou se intimidam. Por isso avançam na Justiça processos como o do Jampa Digital ou os que descrevem o que Ricardo Coutinho fez para ganhar as eleições de 2.014. Esses processos não mostram tudo, tal a utilização criminosa da máquina e de recursos públicos nas eleições. Mas alimentam a esperança de que, cedo ou tarde, até os maiores engodos são desmascarados”, finalizou.

Ricardo rebateu essa nota de Cássio e comentou sobre o caso do "dinheiro voador".

"Passei o meu primeiro mandato inteiro com esse senador desesperado para pagar faturas que dizia ser de Olavinho. Talvez por isso, na pré-campanha, Além da vaga de Vice, da defesa de um legado de uma gestão inoperante, como foi a dele, queria algo “não republicano”, no dizer de um dos interlocutores. Como eu queria desmascara-lo, não teve nenhuma dessas coisas. Repito: a PB sabe que não dou dinheiro a político algum, principalmente a vagabundo. Tenho mais coisas a fazer. Diferentemente dele, fui eleito para trabalhar”.



Fonte PB Agora


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...