sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Homem mente em caso de vítima enterrada viva e causa a prisão de três inocentes no Vale do Piancó

A mentira contada por um homem, que era considerado como testemunha chave de um assassinato, fez com que três pessoas ficassem presas por sete dias por um crime que não cometeram, na Paraíba. O caso aconteceu no município de Itaporanga, no Sertão paraibano, a 428 km de João Pessoa, e a mentira só foi descoberta após um novo depoimento prestado pela suposta testemunha.

Segundo o delegado José Pereira, da Polícia Civil em Itaporanga, o homem havia se apresentado para a polícia alegando saber a identidade dos suspeitos de agredir e enterrar vivo um jovem, no dia 12 de setembro, no município de Pedra Branca. O rapaz foi encontrado morto dois dias após o crime e um laudo confirmou que ele havia sido enterrado vivo.

Nos primeiros depoimentos, o homem havia dito que a vítima teria sido morta durante uma caçada de animais e que ele teria presenciado três pessoas agredirem o rapaz e o enterrarem.

Com base nesse depoimento, a polícia identificou as pessoas e, no dia 14 deste mês, efetuou as três prisões. Presos, os suspeitos alegavam inocência, segundo o delegado.

“Para não ficar com o inquérito apenas baseado em uma testemunha, fomos atrás de outras pessoas que também poderiam nos ajudar. Ai, quando pensávamos que iríamos apenas agregar depoimentos, fomos surpreendidos com as informações, de que a testemunha que apontou os três suspeitos havia mentido e não estava com esses suspeitos no dia do crime, mas em outro local totalmente diferente e com outras pessoas”, contou o delegado.

Com isso, o delegado solicitou que a testemunha do crime fosse prestar novo depoimento na delegacia, onde o rapaz acabou confessando que mentiu.

“Ele veio e confessou que havia mentido. Como desculpa, ele falou que mentiu porque teria ido até um bar de um parente da vítima e, embriagado, teria falado que havia presenciado o crime. A partir daí, a família da vítima o pressionou para que ele falasse com a polícia e ele, sem saída, resolveu levar à mentira a frente, dando falso testemunho sobre o caso”, falou o delegado.

Com base no novo depoimento, a Justiça foi acionada e as três pessoas, tidas como suspeitas, fora liberadas no dia 21 deste mês. Agora, para o delegado José Pereira, o caso voltou quase que a estaca zero. “Voltamos quase que para a estaca zero, sem suspeitos. Porém, estamos trabalhando com provas técnicas e estamos conseguindo alguns avanços”, disse.

Ainda segundo o delegado, o destino do homem que assumiu ter mentido nos depoimentos vai ser decidido nos próximos dias, já que um procedimento vai ser aberto contra o rapaz.

Fonte Portal Correio - Por Halan Azevedo
imagem meramente ilustrativa



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...