sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Polícia prende em flagrante, português suspeito de estelionato, em João Pessoa

Policiais da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital prenderam em flagrante, na tarde desta quinta feira (3), o português Orlando Romão Prudêncio, 44 anos, suspeito de estelionato. Ele foi preso no bairro do Castelo Branco, em João Pessoa, depois de vender como original uma réplica de uma caneta alemã por mil reais.

O português, que de acordo com as investigações policiais não tem residência fixa no Brasil, já estava sendo procurado pela polícia de vários Estados por comercializar produtos falsos como originais. Em João Pessoa, algumas vítimas procuraram a Delegacia de Defraudações e Falsificações para denunciar o golpe, mas como era ele quem entregava os produtos nas residências ou trabalhos das pessoas foi preciso fazer um levantamento minucioso para descobrir onde Orlando ia agir.

Os agentes de investigação começaram o levantamento e mapearam os últimos passos do português, que sempre que ia oferecer os produtos levava a mulher e o filho para sensibilizar as vítimas e dar aparência de legalidade. “Para justificar os preços mais baratos do que os praticados no mercado, Orlando falava que eram ponta de estoque das lojas. Atraídos pela vantagem às pessoas caiam no golpe”, disse o delegado da DDF, Lucas Sá.

Na hora da prisão, os policiais encontraram com o suspeito uma mochila contendo várias réplicas de camisas de marcas internacionais, um casaco de couro, uma pasta de couro de design italiano e um relógio suíço falso. Orlando também tinha uma maquineta de cartões que, segundo ele, era usada para parcelar os valores das compras, já que alguns produtos tinham o valor muito alto. É o caso do relógio que ele comprava por 500 reais e vendia por 5 mil.

“Vamos apurar para saber se ele usava a maquineta para clonar os cartões dos clientes. Também vamos continuar investigando para saber se ele agia sozinho ou com outras pessoas, isso porque como já existem várias denúncias contra ele é possível que Orlando faça parte de um grupo criminoso de estelionatários”, concluiu Lucas Sá.

Durante o depoimento Orlando confirmou que vendia os produtos falsos como originais, mas não revelou como comprava e alegou que praticava o golpe para se manter com a família. Depois de ser ouvido, ele foi levado para o Instituto de Policia Cientifica da Paraíba (IPC) para fazer o exame de corpo de delito. Orlando foi autuado por estelionato e vai aguardar na Central de Policia a Audiência de Custódia e, dependendo da decisão da Justiça, será encaminhado para o Presídio do Roger.




Fonte Foto: Divulgação/Secom
PB Agora







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...