terça-feira, 10 de maio de 2016

MPF-PB apresenta denúncia contra três empresários pela operação 'Andaime'

Ação do trio teria gerado prejuízo estimado em R$ 4.354.731,56, diz MPF.
Esta é a 4ª denúncia dentro da operação, que começou em junho de 2015.

Mais três empresários foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF/PB) por envolvimento na Operação Andaime, segundo o órgão divulgou nesta terça-feira (10). De acordo com o MPF, eles foram responsáives por 16 tentativas de fraudar licitações e oito fraudes consumadas, gerando um prejuízo estimado em R$ 4.354.731,56. O MPF solicitou que os denunciados sejam presos.

A Operação Andaime, deflagrada em 26 de junho de 2015, numa ação conjunta do MPF, Controladoria Geral da União e Polícia Federal, desarticulou uma organização criminosa do “colarinho branco” que fraudava licitações em obras e serviços de engenharia em municípios do Alto Sertão da Paraíba.
Essa é a quarta denúncia oferecida pelo MPF na Operação Andaime. Somando as quatro denúncias oferecidas pelo MPF, até o momento, são 247 delitos praticados, atingindo diversos municípios do alto sertão paraibano. Ao todo, já são 42 pessoas acusadas.

Segundo o MPF, os empresários que compõem esta nova denúncia usaram a empresa “fantasma” Vantur Construções e Projetos Ltda, de propriedade de dois dos denunciados. A Vantur foi utilizada 24 vezes, em conjunto com a construtora Gondin & Rego, administrada por Afrânio Gondin, para conseguir fraudar processos licitatórios em diversos municípios sertanejos.

Desse total, os fraudadores conseguiram vencer oito licitações em obras como reconstrução de casas em Cajazeiras (R$ 791.618,61); contratação de trator para recuperação de estradas no Município de Manaíra (R$ 150 mil); construção de praça, rede de esgoto, açude público, rede de abastecimento de água, reforma de escola, em parte com recursos do Fundeb, também em Manaíra (R$ 150 mil).

Outras licitações no município de Manaíra, vencidas pelos denunciados, também tinham como objeto a construção de praça, rede de esgoto, rede de abastecimento de água, açude público, reforma de unidades de saúde e escolas, no valor de R$ 150 mil, (dessa vez, em parte com recursos da Saúde); construção de passagem molhada na comunidade Olho D’água dos Antônios (R$ 95 mil), reforma e ampliação das unidades escolares na zona rural (R$ 150 mil); construção de três açudes públicos nas comunidades Samambaia, Jatobá e Chico Nenem (R$ 574.054,28). Os denunciados ainda venceram uma licitação para executar a primeira etapa da construção do aterro sanitário de São José de Piranhas, no valor de R$ 680.848,03.





Fonte DO G1 PARAIBA


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...