domingo, 12 de junho de 2016

Delator, presidente da OAS, cita caixa 2 de Marina Silva

A delação de Léo Pinheiro, da OAS, pode atingir uma das principais figuras da política brasileira, tida até hoje como um arauto da ética.

Segundo o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, "na negociação da delação premiada de Léo Pinheiro, há uma revelação destinada a fazer muito barulho". "Atinge duas figuras que têm suas imagens ligadas umbilicalmente às questões da ética e da sustentabilidade - uma, na política; a outra, no meio empresarial".

Ele prossegue: "O ex-presidente da OAS se comprometeu com os procuradores a falar do caixa dois que, segundo ele, irrigou a campanha de Marina Silva à Presidência em 2010. O pedido a Pinheiro foi feito por Guilherme Leal, um dos donos da Natura, candidato a vice-presidente de Marina naquela eleição".

De acordo com a nota de Jardim, que deve ser publicada em "O Globo" deste domingo (11), mas que já foi distribuída a jornais regionais, que publicam a coluna do jornalista, "Alfredo Sirkis acompanhava Leal quando a negociação foi fechada". Sirkis já presidiu o PV. Ele é o fundador da sigla pela qual Marina disputou a presidência do país em 2010.

Na prestação de contas de Marina-Guilherme Leal, não há qualquer registro de doação da OAS.



Fonte Brasil 247


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...