sábado, 10 de setembro de 2016

Acusado conta detalhes da morte de jornalista itaporanguense no Tocantins. [VÍDEO]

A polícia divulgou nesta quinta-feira (8) mensagens de celular que apontam a participação de jovens na morte do jornalista Mateus Júnior, de 47 anos. Ele estava desaparecido desde o último sábado (3). O corpo foi encontrado em uma estrada próximo a Lajeado, município a cerca de 65 km de Palmas (TO), na noite desta quarta-feira (7)

Quatro pessoas já foram presas e uma está foragida. Foram três dias de investigação. O caso começou a ser desvendado quando policiais identificaram todas as pessoas que estavam em uma festa na casa do jornalista no dia do desaparecimento. Uma das jovens, que estava no local, começou a trocar informações com o namorado. Usando gírias, ela dizia estar com medo do que poderia acontecer.

Suspeita: Eu entrei numa latada, aí, meu irmão chegou lá em casa e me chamou para sair porque tinha conhecido um amigo. Era umas 7h. Eu peguei e fui. Depois de 1h quase lá, ele meteu uma cena na casa desse cara, ele era gay, aí o louco do meu irmão matou o bicho [sic]. Só estou esperando a hora que sair a notícia.

Namorado: Fé em Deus meu amore. Vai dar nada.

Suspeita: Foi latrocínio meu bem. Mesmo que eu não tenha me envolvido, estava no lugar.

No depoimento à polícia, um dos suspeitos contou que o objetivo era apenas roubar o jornalista, não o matar. De acordo com o suspeito, Matheus Júnior morreu por falta de ar quando foi amordaçado. Ele contou que o jornalista foi amarrado dentro do quarto e depois jogado no porta-malas do próprio carro.

Após assassinar Matheus Júnior e jogar o corpo em uma estrada de terra há 60 km de Palmas, o grupo fugiu com o carro, roupas e relógios da vítima.

Depois que os criminosos perceberam a repercussão do crime, eles abandonaram o carro do jornalista no município de Porangatu, região norte de Goiás. De lá voltaram de ônibus para o município de Nova Rosalândia, onde ficaram escondidos.
"Nós localizamos um dos indivíduos e a partir dele os demais. Estavam escondidos em um imóvel residencial na cidade de Nova Rosalândia", disse o delegado responsável pelo caso Vinícius Mendes Oliveira.

Thiago Cruz Alencar, de 24 anos, Braúlio Breendon Gonçalvez Alencar, também de 24 anos, e Diego Rodrigues dos Santos, de 20 anos, estão na Casa de Prisão Provisória de Palmas.

Jackeline Cleia Araujo Dutra, de 19 anos está presa na Cadeia Feminina de Palmas. Todos tiveram prisão temporária decretada pela Justiça. A polícia ainda procura por Ronie Von Pereira da Silva, de 20 anos. Ele também teria participado do crime e está foragido.

Velório

O jornalista Mateus Júnior está sendo velado na Assembleia Legislativa, em Palmas. O corpo foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) por volta das 19h30 desta quinta-feira (8) e deve permanecer na capital até o início da manhã de sexta-feira (9). Em seguida, ele será levado para Itaporanga (PB), onde será enterrado.

Entenda

O jornalista estava desaparecido desde a madrugada de sábado (3). Ele foi visto pela última vez, por volta das 2h, em um bar da quadra 303 Norte. A polícia foi até a casa do homem na 306 Sul e encontrou o local aberto e revirado.

No local foram encontrados copos quebrados pelo chão, gavetas remexidas, além da piscina ligada e cheia de latas de cerveja. Uma televisão foi levada e o carro da vítima não estava na garagem - os documentos de Júnior e do veículo ficaram para trás.
O carro da vítima foi encontrado em Porangatu (GO) na terça-feira (6). O veículo estava abandonado perto da rodoviária da cidade.

Mateus era natural de Itaporanga (PB). Ele foi assessor de comunicação do Governo do Tocantins, da Prefeitura de Palmas, chefe da assessoria da Assembleia Legislativa e atualmente trabalhava na Federação da Agricultura do Estado (FAET).




Fonte G1


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...