sábado, 5 de novembro de 2016

Agevisa suspende interdição a lote de suco que foi apontando como causa de envenenamento

A Agência Estadual de Vigilância Sanitária da Paraíba (Agevisa) suspendeu neste sábado (5) a interdição cautelar em todo território paraibano do lote de suco de cajá, da marca Maratá, que foi suspeito de causar o envenenamento de uma criança de sete anos, em Lagoa Seca.

O menino chegou a ser internado na UTI do Hospital de Trauma de Campina Grande. Mas após a realização de exames no suco e conclusão do laudo toxicológico, constatou-se que o lote do produto não contém a substância encontrada no suco que foi ingerido pela criança.

No dia 31 de outubro, foi divulgado pelo Instituto de Polícia Científica - IPC que o suco ingerido pela criança continha um veneno denominado carbofurano, que é um pesticida. A substância foi encontrada em amostra do suco ingerido pela criança, ou seja, no que restou do produto na caixinha.

A Polícia Civil passou a investigar as possibilidades de contaminação ambiental, por exemplo, decorrente de eventual detetização no estabelecimento comercial, e contaminação criminosa.

A resolução 004 da Agevisa, datada de ontem, suspendendo a interdição, foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado deste sábado (5). A perícia no lote de caixinhas de 200ml do suco foi realizada pelo Laboratório de Toxicologia do Instituto de Polícia Científi ca da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social do Estado da Paraíba. O lote examinado foi o B1405 07:00, com validade de 30/03/2017.

Com base no Laudo de Análise, cujo resultado foi "satisfatório para a análise Microbiológica e Físico-Química", a Agevisa decidiu suspender a eficácia da resolução nº 003, de 24 de outubro de 2016, publicada no Diário Oficial de 25 de outubro de 2016, que determinou a interdição cautelar em todo território paraibano do lote do suco.





Fonte clickpb


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...