domingo, 29 de janeiro de 2017

Polícia investiga como preso teve acesso à arma e matou agente em delegacia de Patos

Um bandido de alta periculosidade, com ligações com o Primeiro Comando da Capital (PCC) de São Paulo e com possíveis envolvimentos em explosões a bancos no Estado. Essa é a parte da ‘ficha criminal’ do suspeito de matar o agente da Polícia Civil Klaus Cruz de Lima, de 34 anos, após ter acesso a uma arma dentro da Delegacia de Homicídios em Patos durante a manhã deste domingo (29). A polícia vai apurar como o suspeito conseguiu ter acesso à arma dentro da delegacia.

Leia também: Preso mata agente da Polícia Civil a tiros dentro de delegacia na Paraíba

De acordo com o delegado seccional de Patos, Sylvio Rabello, pelo fato do suspeito ser considerado de alta periculosidade a investigação vai abordar inicialmente como se deu o confronto dele com os policiais que estavam no local e como o suspeito conseguiu ficar armado.

“O suspeito era um bandido de alta periculosidade, com ligações com o PCC paulista e possíveis explosões a bancos. Ele foi preso ontem e estava no presídio regional até hoje pela manhã, quando o pessoal da Homicídios foi buscá-lo para interrogatório. O problema aconteceu dentro da delegacia, quando o suspeito entrou em confronto com os policiais e conseguiu pegar uma arma e matar o agente. O que iremos apurar é se o suspeito estava algemado, que seria o procedimento padrão, e como ele teve acesso a arma”, afirmou o delegado.

Ainda segundo o delegado Sylvio Rabello, após assassinar o agente o suspeito precisou ser contido, com disparos de arma de fogo, para que ele não ferisse ou matasse outros policiais.

Fonte Portal Correio


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...