segunda-feira, 8 de maio de 2017

Prefeito de Emas baixa decreto cortando despesa, mas aluga veículo por mais de 7 mil reais

O aluguel de um veículo destinado ao gabinete do prefeito Segundo Madruga (PMDB), do município de Emas, está dando o que falar por conta do alto valor.

No empenho 0000810, datado de 29 de março de 2017, aparece o valor de R$ 7.180,00 para o pagamento referente à locação de um veículo camioneta S10, cabine dupla, completa, à disposição do gabinete do prefeito.

O aluguel também chama atenção pelo fato que há poucas semanas atrás, mas precisamente no dia 1º de março, o gestor baixou um decreto com o objetivo de cortar despesas. Na decisão, Madruga determina o corte de despesas essenciais, atingindo assim as pessoas mais carentes do município.

O atendimento assistencial foi um dos que mais sofreu com o corte de despesas e teve a compra de remédios, cestas básicas e a realização de consultas e exames atingido. A decisão do prefeito está sendo bastante criticada no município e a população mais carente que precisa de medicamentos está reclamando da falta dos mesmos.

O vereador Junior Rufino criticou duramente os cortes e disse que a população mais carente está sofrendo com a falta de medicamentos no município. “Entendo que remédio, consultas e exames não deveriam ser vistos como gastos e sim como investimentos no Social e na Saúde. Por um lado, o prefeito corta gastos essenciais para a comunidade mas por outro aluga um veículo no valor de R$ 7.180,00 para seu gabinete” disse

Rufino lembrou que os R$ 7.180,00 daria para comprar 143 caixas de remédios de R$ 50 reais ou 143 cestas básicas pelo programa "Viver Bem" ou, ainda, daria para pagar o frete para atender a reivindicação de alunos que precisam fazer cursinho em Patos. “Considero esse gasto desnecessário em ‘tempos de crise’. Dinheiro de prefeitura é dinheiro do Povo e é para ser INVESTIDO e isso não é investimento, isso é LUXO!”

O prefeito Segundo Madruga se encontrava afastado do cargo há cinco meses por determinação da justiça federal e reassumiu seu mandato no dia 15 de fevereiro deste ano. No período em que se encontrava afastado, o município era governado pela vice-prefeita Anete Loureiro.

Durante os cinco meses que esteve a frente do município, a ex-prefeita decidiu não realizar nenhuma despesa com aluguel de veículo para seu gabinete e isto acabou gerando elogios.

Junior Rufino disse que na gestão da ex-prefeita Anete, a distribuição de remédios complexos e os exames tinham mais agilidade nos encaminhamentos.

Algumas pessoas da cidade de Emas, que preferiram não se identificar, confirmaram a falta de medicamentos. Elas informaram que na gestão da ex-prefeita Anete, a classe mais carente era atendida com mais agilidade e dignidade, e raramente faltavam medicamentos ou não conseguiram marcar exames.

Assim que reassumiu o mandato, o prefeito Segundo Madruga disse que pretendia "fazer uma nova gestão".

Veja o empenho da despesa abaixo





Fonte CatingueiraOnline
Foto da S10 meramente ilustrativa



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...