domingo, 10 de setembro de 2017

Polícia Militar realiza apreensão de aves silvestres e espingardas em Patos. Caçadores teriam saído da cidade de Olho D'água

A Polícia Militar apreendeu na manhã deste domingo, 10, na praça do Bairro Bivar Olinto, na BR-361, em Patos, aves silvestres, espingarda e material utilizado para caçar, após uma denúncia anônima ao CIOP do 3° BPM.

Segundo informações do Sargento Ferreira, comandante da guarnição, as aves estavam em poder de cinco caçadores que saíram da cidade de Olho D’água com destino a Patos.

As cinco pessoas, dois homens e três adolescentes, estavam em um Fiat Uno e com eles foram localizadas 10 marrecas vivas, 03 marrecas verdadeiras vivas, uma arribaçã morta, um putrião pata, cantil, lanterna, recipiente com cartucho, chamariz com as aves vivas, 02 recipientes com espoletas, duas espingardas calibre 28 marca Rossi, cartucho de 28 (47), cartucho de 36 (25), recipiente com chumbo, uma redução de calibre da 28 para a 36, carregador artesanal de madeira, lanterna, cantil, foice, base de armar barraca, twit para atrair a ave.

“Ao assumir o serviço pela parte da manhã, fomos informados de que esse veículo vinha de Olho D’água com cinco elementos; segundo a ligação anônima, vinham aves silvestres e armas dentro do veículo. Ao se dirigir até o local, próximo a saída do Bivar Olinto, nos deparamos com o veiculo vindo no sentido centro e ao abordar e verificado o interior do veículo, foi constatado as armas e as aves silvestres vivas num total de 13 marrecas e um putrião pata”, contou o Sargento Ferreira sobre a apreensão.

Ao militar, os homens disseram que são trabalhadores e praticam a caça nos finais de semana.

Os homens foram conduzidos a Delegacia de Polícia Civil juntamente com o material apreendido. O delegado plantonista, Rônis Feitosa, explicou que eles foram autuados pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e pelo crime ambiental. Dois ocupantes do veículo confessaram a propriedade das armas e um terceiro ocupante está envolvido somente no crime ambiental, lei n° 9.605/98.

“Nessa situação não é possível o arbitramento de fiança no âmbito policial devido à somatória das penas privativas de liberdade”, disse o delegado.

Os acusados ficarão detidos no Presídio Romero Nóbrega à disposição da justiça. Já os adolescentes foram entregues aos responsáveis.






Fonte Por Acilene Candeia - Patos verdade


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...