domingo, 1 de outubro de 2017

Corpo de idoso é liberado após espera de seis meses por perícia médica legal, no Sertão da PB

O corpo do comerciante João Batista Melo, 63 anos, encontrado carbonizado dentro do próprio veículo no dia 23 de março em Pedra Lavrada, Agreste da Paraíba, será liberado para a família da vítima a partir da segunda-feira (2), após ficar seis meses no Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Campina Grande. O motivo foi a espera pela aquisição de uma substância reagente para a realização da perícia no corpo da vítima.

De acordo com o diretor do IML, Márcio Leandro, a demora para liberação existiu por causa da falta do produto no Instituto de Polícia Científica (IPC).

Segundo a superintendente do IPC, Gabriela Nóbrega, a demora se deu por que o material acabou e uma licitação teve que ser feita. "Nós não temos culpa. O reagente acabou e tivemos que abrir um processo licitatório (para aquisição do produto). A demora toda é por conta da burocracia existente", revelou.

O cunhado da vítima, Marcelo Parentes, disse ao G1 que os familiares estavam desacreditados que um dia o corpo do comerciante poderia ser velado. "Foi muito tempo esperando. É muito doloroso. O filho dele (da vítima) não aguentava mais correr atrás para conseguir liberar o corpo. Apesar de toda atenção que o pessoal do IML nos dava, essa questão de não velar o nosso familiar é muito triste", afirmou.

Segundo o IPC, o reagente que estava em falta foi comprado e a perícia confirmando que o corpo carbonizado é o do comerciante foi feita. Após a confirmação, o diretor do Numol de Campina Grande comunicou aos familiares. O velório que vai acontecer na próxima sexta-feira (6), em Santa Luzia, onde o idoso morava. O enterro vai acontecer no cemitério municipal da cidade.
Entenda o caso

O comerciante João Batista Melo foi encontrada morto dentro do porta-malas do carro carbonizado. O crime ocorreu na madrugada do dia 23 de março deste ano, na cidade de Pedra Lavrada, no Agreste da Paraíba.

Segundo a Polícia Civil, a vítima estava dirigindo um veículo Fox, quando foi abordada por um grupo que estava em veículo Ford Ka da cor preta. O comerciante foi colocado dentro da mala e depois o carro foi incendiado com a vítima dentro em uma zona rural.
Na época, os suspeitos fugiram levando carteiras de cigarro, celular e dinheiro da vítima. Meses depois os policiais conseguiram prender os três homens e uma mulher, todos envolvidos no latrocínio.

Ainda durante o procedimento de busca, a Polícia Civil acabou localizado cerca de 11 mil cigarros que haviam sido roubados no comerciante. Os produtos estavam na casa dessa mulher.



Fonte Fonte G1PB



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...