segunda-feira, 13 de novembro de 2017

EM PATOS: Açudes Jatobá e Farinha em Patos estão em colapso total e Capoeira ainda sobrevive com 10% da capacidade

Os três mananciais que abastecem o município de Patos, no Sertão da Paraíba, estão praticamente secos e em situação de quase colapso total. Jatobá, Farinha e Capoeira, juntos, são responsáveis por grande parte do abastecimento da cidade que sofre há anos com a forte estiagem.

O açude do Jatobá que tem capacidade armazenar 17.516.000m³, tem hoje apenas 357.330m³, ou seja, com 2,04%, segundo a última medição feita em 9 de outubro.

A barragem da Farinha também está à beira de um colapso total. Tendo capacidade para armazenar até 25.738.500m³, o manancial tem hoje somente 612.670m³, 2,38% da sua capacidade, segundo a última medição feita em 16 de outubro.

No entanto, um mês depois da última medição oficial da AESA, dá pra ver a olho nu que a situação é bem mais crítica. Jatobá, por exemplo, não existe mais água acumulada praticamente, compreendendo uma situação de colapso total.

Farinha ainda é possível ver a lâmina de água, mesmo que seja pequena. As fotos foram retiradas neste fim de semana e possível constatar que não existem mais condições de abastecimento através destes mananciais.

A situação menos caótica, mas que causa preocupação também, é a Barragem de Capoeira que tem capacidade total de 53.450.000m³, mas hoje só tem 5.827.009m³, 10,90%, segundo os últimos dados coletados em 4 de outubro. Também muito atrasados os dados. A Barragem da Farinha passa por reestruturação no seu balde por parte da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado.

Com isto, Patos hoje está sendo abastecida pelos açudes Coremas e Mãe D’água que aos poucos também começam a entrar em situação de calamidade total.

Atualmente, o açude de Coremas, que tem uma capacidade de 591.646.222 m³, acumula apenas 32.469.624, 5,49% do volume total, e está na lista dos reservatórios em situação de observação. Já o de Mãe D’água, que tem capacidade de 567.999.136, está com 22.994.860, 4,05% de água, sendo um dos 49 açudes do estado em situação crítica.

Com precipitações abaixo da média nos últimos meses, a segurança hídrica dos reservatórios fica em xeque. A Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) trabalha com a percepção de que o abastecimento normal nas cidades que recebem águas desses açudes está garantido até março do ano que vem.

A expectativa do órgão, no entanto, é de que as chuvas de janeiro possam melhorar essa perspectiva e garantir uma segurança hídrica por mais tempo.

Esses reservatórios abastecem os municípios de Cajazeirinhas, Pombal, Vista Serrana, Paulista, Catolé do Rocha, Brejo do Cruz, Belém do Brejo do Cruz e São Bento e atendem cerca de 200 mil habitantes.

O presidente da Aesa, João Fernandes, avaliou a situação do Sertão. “A gente tem monitorado e vamos conseguir manter o abastecimento até março do ano que vem. Mas realmente a situação não é fácil, visto que não tem chovido no Sertão. Já são sete meses chovendo abaixo da média. Se daqui para lá não melhorar isso, vamos analisar melhor o caso e buscar soluções”, explicou.









Fonte Portal40graus


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...