segunda-feira, 2 de julho de 2018

Polícia apreende material usado para ocultar corpo após feminicídio, em Patos

A carroça de tração animal e o tonel de plástico que foram usados para transportar o corpo de Valéria Ribeiro, 31 anos, foram apreendidos pela Polícia Civil. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (2) pelo delegado de homicídios da Polícia Civil, que passou a presidir o inquérito. Segundo a investigação, Valéria foi morta asfixiada durante uma briga com namorado, depois que ela mexeu no celular dele e encontrou contatos de mulheres em uma rede social. O crime ocorreu em Patos, no Sertão.

Segundo a Polícia Civil, o namorado dela, Kelvy Ubirací Gomes de Vasconcelos, 26 anos, e o tio dele, Alan Gomes Alves, 24 anos, continuam presos no presídio Romero Nóbrega, por força de um mandado de prisão temporária, expedido pela comarca de Patos.

Até a sexta-feira (30), quando o crime foi descoberto e os suspeitos foram presos, o caso era acompanhado pelo delegado Ronis Fernandes, pois era investigado como um desaparecimento. Mas, depois da descoberta da morte, o inquérito foi para a Delegacia de Homicídios. O crime é tratado como um feminicídio.

De acordo com o delegado Diego Beltrão, nesta terça-feira (3) outras pessoas deverão ser ouvidas, para a conclusão do inquérito. A carroça e o tonel também vão ser periciados. Em depoimento, o suspeito disse que o crime ocorreu durante uma briga e que ele pediu a ajuda do tio para ocultar o cadáver. Apesar dessa informação ser a mais concreta, a Polícia Civil ainda não descarta que o suspeito tenha premeditado o crime.

“Ele contou com detalhes como foi a briga. Que estava com a namorada na cozinha e a filha estava no quarto. A perícia no apartamento confirmou a presença de sangue, caracterizando a luta corporal. Ele foi indiciado pelo feminicídio e o tio dele por ocultação de cadáver”, disse o delegado.

Segundo a Polícia Civil, a estratégia de usar um tonel e a carroça de tração animal para levar o corpo até o local onde foi enterrado fez com que ninguém suspeitasse do crime. “O tonel que eles usaram é usado para transportar lavagem para porcos. E geralmente também é levado em carroças. As pessoas podem até ter visto a carroça passando, mas ninguém desconfiou de que teria uma corpo dentro”, disse o delegado.


Entenda o caso

Valéria havia sido vista pela última vez voltando de um culto religioso na segunda-feira (25). Ela estava desaparecida e foi encontrada morta na manhã da sexta-feira (27), depois que a Polícia Civil descobriu que ela foi morta pelo namorado na terça-feira (26) de manhã. No mesmo dia do crime, o corpo dela foi colocado em um tonel de plástico e levado para zona rural em uma carroça, onde foi enterrado.



Delegado diz que mulher foi morta asfixiada após olhar celular do namorado, em Patos



Fonte Por Artur Lira, G1 PB




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...