quinta-feira, 2 de agosto de 2018

OUÇA: Promotor detalha ações da Operação Cidade Luz e revela que armas também foram apreendidas em Patos

O promotor do Gaeco, Romualdo Tadeu de Araújo Dias, detalhou as ações realizadas pelo Ministério Público da Paraíba em parceria com o Ministério Público do Rio Grande do Norte, que desencadeou a Operação Cidade Luz na cidade de Patos que investiga o pagamento de propina pela gestão do prefeito Dinaldo Wanderley.

De acordo com Romualdo, só de propina foram pagos R$ 180 mil e as empressa Enertec e Real Energy Ltda em apenas 6 meses de atuação na cidade teriam lucrando R$ 700 mil.

"O então candidato a prefeito Dinaldo Wanderley e seu grupo político firmou o compromisso com essa empresa de energia para o pagamento de caixa 2 para a campanha dele sobre o compromisso de depois que ganhasse a eleição a empresa pudesse ser contratada" explicou.

Ainda segundo o promotor, para alimentar esse esquema, o prefeito aumentou a taxa de iluminação e fixou o valor de 5% de propina para cada medição. A empresa ainda conseguiu fazer 4 medições e o valor de 5% teria ido para as pessoas do grupo político.

Romualdo revelou ainda que foram cumpridos um mandado de prisão e 14 mandados de busca e apreensão entre João Pessoa e Patos. Na casa de um dos envolvidos foram apreendidas 3 armas. Os envolvidos podem responder pelos crimes de organização criminosa, contra o erário, corrupção ativa e passiva, entre outros.

OUÇA:







Fonte PB Agora




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...