terça-feira, 18 de setembro de 2018

Rapper lança música que relaciona a luta de escravo poeta Inácio da Catingueira

Emicida relaciona a luta de escravo poeta com o próprio triunfo em single de discurso combativo em que o rapper critica Lobão

Inácio da Catingueira (1845 – 1878 / 1879?) foi escravo do século XIX que lutou contra a adversidade de sociedade dominada pelos senhores brancos das Casas Grandes.

A poesia foi a arma de Inácio, filho analfabeto de pai desconhecido que sequer tinha sobrenome e, por isso, ficou conhecido como Inácio da Catingueira por ter nascido e crescido, escravizado, em Catingueira (PB), município da Paraíba.

Decorridos cerca de 140 anos da morte desse poeta, cantador e repentista que foi escravo sem se se deixar escravizar, Inácio da Catingueira é revido por Emicida no single que o rapper paulistano lança hoje, 18 de setembro de 2018, em edição da própria gravadora, Laboratório Fantasma.

A engenhosa arte da capa já dá a pista do tom do rap. No single Inácio da Catingueira, Emicida relaciona a luta do poeta – sem citá-lo nominalmente – com o próprio triunfo como rapper em discurso combativo que alveja o racismo que torna desigual um embate cotidiano entre brancos e pretos que nem deveria existir em sociedade ideal. "Com uma mixtape, fiz minha primeira revolução", orgulha-se Emicida.


Em uma das letras mais incisivas do cancioneiro do rapper, o artista ataca os que criticam a ascensão social dos negros, criticando inclusive o discurso do cantor Lobão, que já chamou publicamente Emicida de comunista.

"Quem diz que eu vendo minha alma / Descende de quem dizia que eu nem tinha uma / ... / Me chama de arrogante / Porque a vitória de um semelhante / É para os vermes um barato humilhante", dispara Emicida.
A batida é sombria como o tom e as rimas desse rap introduzido por discurso falado que põe em pauta a luta diária dos negros que precisam se impor na sociedade sem direito de usar as mesmas armas dos opressores.

As armas de Inácio da Catingueira foram os versos da poesia do artista escravizado, além de um pandeiro, instrumento recorrente no toque do coco-de-embolada, ritmo comum nas vozes dos cantadores da Paraíba. A arma de Emicida é o discurso consciente e contundente que pauta o single Inácio da Catingueira.










Fonte MATÉRIA DO G1 (Por Mauro Ferreira)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...