Facebook

Prefeitos paraibanos vão parar no dia 13 de maio e cobrar verba para combater a seca

Prefeitos da Paraíba e dos outros oito Estados do Nordeste estão preparando uma 'greve simbólica' para protestar contra a falta de recursos e ajuda do Governo Federal no combate à seca.

A paralisação está marcada para o próximo dia 13 de maio.

Os detalhes e estratégias para a realização do protesto regional serão definidos em uma reunião entre os dirigentes das entidades representativas dos prefeitos nordestinos, agendada para a próxima terça, dia 30, em Maceió (AL).

A proposta de fechar as portas das prefeituras nordestinas foi acatada pelos representantes dos municípios de toda a região na reunião de cidades nordestinas, evento realizado durante o encontro do Conselho Político da Confederação Nacional de Municípios (CNM), promovido no último dia 19 de abril na cidade de Canela, no Rio Grande do Sul. A CNM vai articular a realização da 'greve' e está buscando a adesão de mais prefeitos ao protesto.

De acordo com Buba Germano, presidente da Federação dos Municípios da Paraíba (Famup), a 'greve' dos prefeitos não deverá afetar o atendimento à população. “A orientação da CNM é para fechar as portas das prefeituras, mas é claro que os serviços essenciais à população serão mantidos. Os prefeitos vão parar simbolicamente para demonstrar a insatisfação na forma como o Governo Federal tem tratado as prefeituras na questão da seca”, informou.

A Famup ainda não tem uma estimativa de quantos prefeitos paraibanos deverão aderir ao protesto, o que só deverá ser definido após a reunião de organização do protesto que acontecerá na próxima semana em Maceió. Os prefeitos vão contar com o apoio da CNM que fará estudos técnicos sobre a estiagem para mostrar as perdas geradas pela seca. No protesto, serão usadas imagens chocantes mostrando o gado morto, açudes e reservatórios vazios e plantações destruídas.

SEM AJUDA
Os prefeitos reclamam que a ajuda anunciada pelo Governo Federal não chega aos municípios. Segundo o relato dos presidentes das entidades nordestinas, apesar da série de anúncios do governo federal, a ajuda que chega aos municípios é mínima.

No último dia 2 de abril do corrente ano, a presidente Dilma Rousseff anunciou, durante reunião com os governadores, em Fortaleza (CE), um pacote de medidas emergenciais contra a seca e garantiu que os investimentos federais para enfrentar o problema serão R$ 9 bilhões.




Fonte: Jornal da Paraíba



Tecnologia do Blogger.