Facebook

NA PB: Mulher doa leite materno para quase mil bebês em um ano

No domingo (19), foi celebrado o Dia Mundial de Doação de Leite Humano. Nesta semana, o Banco de Leite Humano Doutor Virgílio Brasileiro (BLH), em Campina Grande, registrou um novo recorde de doação. Em um ano, a mãe Emilly de Assis Marques forneceu 96.400 ml de leite humano.

De acordo com a Coordenação do BLH, que funciona no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), cada um litro de leite materno alimenta até 10 crianças recém-nascidas, o que significa dizer que no intervalo de um ano, quase 1 mil crianças receberam leite de Emilly.

“A sensação é ótima. Nós que amamentamos sabemos a importância para um bebê que nasce prematuro. É muito bom poder ajudar nesse momento tão frágil”, relatou Emilly. A filha dela, Lyanna, que acabou de completar um ano de idade, continua se alimentando do leite da mãe, mesclando as refeições com outros alimentos.

“Até seis meses de vida, o leite materno foi o alimento exclusivo. Depois passei a dar outras comidas, mas continuo amamentando porque tenho em excesso e sei o quanto ele é importante para ela. Consigo extrair leite excedente quase todo dia e me sinto na obrigação de doar”, explicou.

Antes de Emilly, o maior volume de doação tinha sido de 40 litros. Agora, a dona do novo recorde de doação de Campina Grande já tem outra filha com quase dez anos e, durante o puerpério da primeira filha, também foi doadora. A filha mais velha mamou até os três anos.

Importância
A coordenadora do BLH, Alane Tavares, destaca a importância do leite materno. “Esse alimento é o que garantirá saúde, imunidade e desenvolvimento saudável para as crianças. Por isso, é tão importante que as mães com leite em excesso doem para as mães que têm insuficiência na produção do líquido. O leite humano é essencial para a recuperação das crianças que estão na UTI neonatal”, explicou.

Doações
No primeiro quadrimestre de 2019, o Banco de Leite Humano Doutor Virgílio Brasileiro, do Isea, já coletou mais de 600 litros e distribuiu mais de 400. O volume de coleta e de distribuição vem aumentando gradativamente a cada ano desde 2012. Neste ano, tinham sido coletados 825 litros e em 2018 foram 1.798.

O BLH distribui leite materno para Isea, Clipsi, FAP, Clínica Santa Clara, Hospital Universitário e todas as unidades de tratamento intensivo neonatal da cidade. O BLH do Isea já recebeu quatro vezes a certificação ouro do programa ibero-americano de bancos de leite humano.

Como doar
As puérperas, mães que acabaram de dar à luz, podem fazer a doação diretamente no Banco de Leite, como também podem agendar a visita domiciliar para coleta. O agendamento pode ser feito pelo telefone 3310-6185. O BLH funciona de segunda a sexta-feira das 7h às 18h no ISEA. Nos finais de semana, funciona apenas para distribuição e acompanhamento de gestantes e puérperas que estão na maternidade.

Além da coleta e da distribuição, o BLH também realiza a análise do leite e auxilia as mães que não conseguem amamentar os seus filhos. O local realiza atendimento em grupo e individual. As mulheres recebem orientações, como também a ajuda de profissionais especializados para fazer a extração do leite. As pessoas que desejam ajudar também podem doar potes de vidro. Devem ser potes de vidro resistente com tampas de plástico com capacidade de 150 a 500 ml.





Fonte PortalCorreio


Tecnologia do Blogger.