Comandante da 4ª CPTRAN, em Patos, diz que mudanças propostas por Bolsonaro “são retrocessos”

O comandante Leonides Marcelino, da 4ª Companhia de Policiamento de Trânsito (4ª CPTRAN), em participação no programa matinal Notícias da Manhã, apresentado por Misael Nóbrega e Genival Júnior, na Rádio Espinharas 97.9 FM, se posicionou contrário sobre o Projeto de Lei nº 3267, do presidente Jair Bolsonaro, que propõe mudanças no Código de Trânsito Brasileiro.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) entregou ontem (terça-feira, 04) o projeto ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), propondo diversas mudanças, uma delas elimina a multa de motorista que levar criança sem cadeirinha. “Infelizmente representa um tapa na cara da sociedade brasileira e uma grande ofensa à fiscalização de trânsito de qualidade que o Brasil possui. O trabalho cotidiano no sol, na chuva, o desgaste atrás de infratores buscando melhorar o aspecto social, a diminuição dos índices de acidentes e garantir a fluidez daqueles que usam da ética, da dignidade humana, esses estão sendo menosprezados, diminuídos pela atitude do presidente, que me parece está ouvindo uma certa categoria e deixando de lado o equilíbrio social”, disse Leonides.

Ele frisou que o projeto tem alguns pontos interessantes, mas revela que a maioria é prejudicial por não possuir medidas que tragam melhorias para o trânsito. O mesmo espera que os parlamentares corrijam o texto. “Esperamos que o Congresso corrija inúmeras proposituras que são verdadeiros retrocessos à qualidade de vida no trânsito. Tem alguns pontos que são interessantes, mas que na maioria é ofensiva ao trânsito brasileiro que há tanto tempo precisa urgentemente de medidas que venham avançar, diminuir o número de lesões e mortes no trânsito. Não é abrandando, ampliando a margem de impunidade, que vamos alcançar uma melhoria no trânsito”, completou.








Fonte Folha Patoense


Tecnologia do Blogger.