Facebook

Crianças sujas, chorando e expostas ao chão por mulher pedinte chamam atenção na porta do Banco do Brasil, em Patos

Nos últimos dias, ver pessoas pedindo ajuda ou realizando campanhas para as mais diversas situações em decorrência de problemas de saúde, desemprego e outras desgraças tem se tornado tão comum que alertam a sociedade diante da miséria gritante gerada pela crise econômica, a desigualdade social e a ausência de políticas públicas eficazes.

Quando crianças estão envolvidas em meio aos adultos pedintes geram reações distintas em quem presencia a cena. Crianças são sempre doces, frágeis e causam sensibilidade para a situação vivida, pois elas não têm compreensão do meio social e o mundo de dores no qual estão expostas.

Durante esse sábado, dia 08, mais uma vez, uma senhora é vista com duas crianças pedindo na porta do Banco do Brasil, em pleno centro de Patos. A mulher já é conhecida no local e o que mais chama atenção são as crianças sujas, por vezes chorando e expostas ao chão.

Dentro da agência bancária outra mulher de mais idade pedia ajuda de mão estendida. Devido ao fluxo de clientes do banco e por se tratar de um espaço onde se movimentam recursos financeiros, o Banco do Brasil se tornou local ideal para pedintes, porém, a cena é cada vez mais deprimente.

A matéria foi enviada por um cidadão que se comoveu com a cena vista no Banco do Brasil. “Será que o poder público não poderia tomar uma providência!?”, indagou Valmir.

De acordo com Conselheiros Tutelares, os órgãos de proteção à criança e ao adolescente tem acompanhado essas situações e movido ações judiciais, no entanto, se reconhece muita dificuldade para combater tais casos. O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) vem acompanhando às famílias em vulnerabilidade social.

Em entrevista ao Programa Polêmica, da Nova Rádio Espinharas FM 97,9, a secretária de Desenvolvimento Social do Município de Patos, Edjane Araújo, disse que o Governo Bolsonaro vem cortando recursos fundamentais da assistência social e que as secretarias estão em uma crise sem precedentes. A secretária relatou que até alguns Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) estão para fechar suas portas.





Fonte Jozivan Antero – Patosonline


Tecnologia do Blogger.